31 de maio de 2016

A crise dos 20 e poucos anos


              O meio termo de dois pilares da vida



                     




   Se você tem mais de 20 e poucos anos de idade, provavelmente vai me compreender neste texto, caso você tenha menos de 20 anos, um dia saberá e entenderá do que tratarei de lhes contar através da postagem de hoje.
   Eu, Letícia, tenho 21 anos de idade, uns podem achar que sou muito nova para ter tantos questionamentos assim da vida e poucos realmente me entenderão. No momento, minha faculdade está de greve e quando fico ‘’fora’’ de uma rotina, meu cérebro e meus pensamentos tendem a trabalhar mais do que o costume. Sem ter muito o que fazer, eu acabo pensando muito sobre a vida.
   Uma vez li em um blog sobre essa tal crise dos 20 e poucos anos, na época eu até me identifiquei com o que li mas agora entendo melhor do assunto pois no momento estou passando por isso.
   Quando uma pessoa chega ao auge de seus 20 anos ela se vê no meio de dois ápices da vida: a adolescência e a tão temida vida adulta. É uma questão de opinião, mas ao meu ver uma pessoa nesta idade não é mais um adolescente mas também não é um adulto completo. Por exemplo, caso ela more com os pais, ela tem responsabilidades e direito de fazer certas escolhas, mas por outro lado ela não tem uma total autonomia em sua vida pois ainda mora sob o mesmo teto que seus pais, portanto ela fica no ‘’meio termo’’. Alguém com vinte anos provavelmente estuda ou trabalha (tem gente que faz as duas coisas ao mesmo tempo), e começa a se questionar se as escolhas que tem feito nesta vida realmente valeram a pena. ‘’Será que estou fazendo o curso certo na faculdade? Este emprego realmente me proporcionará algo de bom no futuro?’’. Estas e outras perguntas começam a pairar sob sua cabeça. Caso a pessoa namore alguém por alguns anos ela começa a se questionar se está neste relacionamento por amor ou por comodismo ou se pretende ter um futuro com a pessoa amada.
   Os amigos nesta idade começam a ficar mais raros. No meu caso, tenho pouquíssimos amigos e todos de longa data pois não costumo me abrir para qualquer um e acho que amizade é algo sério que não deve ser desperdiçado com pessoas que não valem a pena. Nessa fase da vida você começa a perceber que não consegue ver seus amigos com a mesma frequência pois cada qual tem sua própria rotina, faculdade e trabalho. Os assuntos começam a mudar, ainda mais se seus amigos forem da época de escola ou curso. Os assuntos não serão mais sobre fatos do cotidiano em que passavam juntos, serão sobre a faculdade, estágio, emprego e afins. Claro que surgirá assuntos sobre coisas aleatórias mas você vai perceber que tudo mudou. O tempo passa e as pessoas amadurecem, os problemas são outros e os assuntos também.
   Na idade em que me encontro me questiono sobre diversos assuntos. Confesso que estou um pouco quanto assustada com essa vida adulta. As responsabilidades pesam e  quando algumas coisas não dão certo você não pode simplesmente tentar ignorá-las e colocar seus fones de ouvido com uma música no volume máximo como fazia na adolescência ou se esconder debaixo das cobertas segurando seu brinquedo preferido como fazia na infância. Você simplesmente deve encarar cada conflito pois é isso o que adultos fazem. Ou pelo menos é o que acho que fazem.
   Ter 20 anos é você olhar para trás e ficar nostálgico com coisas do passado e se sentir velho ao perceber a rapidez da passagem do tempo e também é ver o quanto você ainda tem pela frente e se sentir extremamente nova.
   Com toda essa tecnologia, globalização e internet a geração atual quer tudo para ontem. Não querem esperar por nada e querem ver mudanças a curto prazo. Aos 17 anos querem que escolhemos uma profissão para seguirmos pelos restos de nossas vidas. Eu acho isso tudo uma grande loucura pois o ser humano muda de opinião toda hora e isto não é algo ruim. Pensar do mesmo jeito pelo resto da vida é que algo ruim. A preocupação que nossa sociedade tem com o futuro é estressante e por vezes acabamos de esquecer de viver o presente.
   Eu não sei como serei no futuro, se minhas escolhas de hoje realmente me satisfarão. Se ainda manterei contato com pessoas que considero como amigos. Se mudarei de ideia sobre pensamentos que tenho sobre o mundo e a vida em si, mas algo que eu sei é que ter 20 e poucos anos não é fácil. Talvez eu pense a mesma coisa aos 30,40,50 ou 90 anos mas o que sei é que o tempo passa muito rápido. Está aí uma frase clichê que consegue contemplar todo o meu texto sobre esse momento de vida. Não adianta, o tempo é o único que tem o poder de controlar as coisas e nós tentamos fazer o melhor de nossas vidas enquanto ele faz o que deve ser feito.

3 comentários:

Jonathan silva gonçalves disse...

Letícia, sua linda.

maurisoo disse...

S E N S A C I O N A L

Suellen Moreira disse...

Quero te dá um abraço nesse exato momento! Todo seu texto resumiu minha vida e questionamentos quando fiz 20 anos. Agora, prestes a fazer 21, estou com quase todos os questionamentos ainda, mas entrando de vez na vida adulta e não achando nada fácil. Porém, sempre de pé!

Bom, te indiquei para receber o selo virtual Prêmio Dardos Bloggers. Vai lá ver!!

http://umsimplesprazer.blogspot.com.br/2016/05/selo-virtual-premio-dardos.html